Fiz 3 experiências de voluntariado internacional!

Se há pessoas aventureiras por fazer uma experiência de voluntariado connosco, imaginem uma pessoa que já fez 3! A Raquel Ribeiro tirou um Gap year e preencheu-o com as experiências da AIESEC.  

De maneira geral, o gap year é um período de intervalo no percurso dito “normal”. Este tempo pode ser o que precisas para tomar decisões mais conscientes sobre ti e o teu futuro. Mas atenção, não há uma fórmula de gap year ou pacotes de experiência. Este intervalo é único para cada um de nós, podes escolher o teu rumo de acordo com as tuas características, sonhos e objetivos.

Neste caso a Raquel Ribeiro decidiu embarcar em 3 diferentes experiências de voluntariado internacional e decidimos fazer-lhe algumas perguntas para que fosse possível partilhar com vocês um pouco da sua experiência única.

Podes contar-nos um bocado sobre a tua experiência? Para que país foste, qual o projecto?

Fiz 3 experiências até agora:

Croácia: Word in the city Split;

Roménia: Achieve – Aim high, reach higher  

Camboja: Education Spring Camp

Como foi viver num país diferente? Sentiste choque cultural?

Na Croácia não senti um choque, mas fiquei surpreendida com a beleza de todos os sítios. Na Roménia tive um primeiro choque, as pessoas são muito boas e, infelizmente, há tanta corrupção que se torna impossível evoluir para eles, principalmente nas condições das escolas. E, claro, o maior choque foi no Camboja. Na capital há um grande contraste, pessoas muito ricas e pessoas muito pobres, não há intermédio. Mas se sairmos das grandes cidades, vemos a pobreza que ali existe. O mais bonito de ver é que, não importa a situação de vida de cada um, são muito trabalhadores e também sempre prontos a ajudar. Muito desconfiados, mas o espírito de sobrevivência leva a isso.

Quais foram os teus maiores desafios?

Eu podia dizer que foi o estar sozinha mas, nunca me faltou companhia na verdade. Quando se está lá fora, faz-se amizades muito rápido, porque todos os que andam sozinhos procuram trocar essa experiência. Também podia dizer que foram as duas idas ao hospital no Camboja, mas isso também não me abalou. Acho que o maior desafio foi com a família que me acolheu no Camboja. Eram muito controladores sobre a minha vida e as minhas coisas e eu tive de aprender a lidar com isso mesmo que não tenha nada a ver com o que vivo em minha casa. O meu maior desafio no pós voluntariado é tentar não ser engolida pelo pensamento da sociedade em que estou inserida.

O que achas que mudou em ti com esta experiência?

Tudo. Tirar um gap year mudou a minha vida de uma forma inacreditável. Acho que já há muito tempo que estava aqui só a existir, distanciei-me da realidade há muito tempo, então não sentia tanto as coisas más mas também não sentia as coisas boas. Agora consigo viver todas as emoções à flor da pele. E não há nada melhor que isso.

Que conselhos darias a alguém que estivesse a pensar embarcar numa experiência semelhante?

“Vai, com tudo o que tens dentro de ti!” Não penses muito, sê minimalista no que levas contigo, não precisas de muito onde quer que estejas, leva boa disposição e vontade de conhecer novas realidades. Abraça tudo o que vier com a experiência. Não penses que vais para qualquer lado salvar vidas. Mas vais ter impacto. E tens de dar valor às pequenas coisas em que vez um bocadinho do teu trabalho. E vive, vive aquilo ao máximo. És tu que fazes a tua experiência.

Se tivesses de resumir a tua experiência numa palavra qual seria?

Pois, vou ter que ser clichê, não é? MUDANÇA.

A AIESEC tem experiências durante o ano inteiro por isso não precisas de tirar um gap year para aproveitar. A Raquel trouxe destas experiências muito mais que um currículo fantástico, trouxe uma mudança que não seria possível de outra forma, uma nova visão de si própria e do que a rodeia. Se quiseres viver pelo menos ⅓ das experiências da Raquel, não percas tempo.  Clica aqui para te inscreveres e prepara-te para a mudança em ti e no mundo!

share post to:
Author
Estudante de Gestão, trabalha com a AIESEC desde Fevereiro de 2019 nas áreas de Brand To Customer Experience. Faz também parte da Entity Support Team publicando neste blog.