Estágio Internacional numa startup: O Testemunho do Renato

Já pensaste em fazer um estágio internacional? Desenvolver-te profissionalmente num ambiente desafiador? Conhece a história do Renato, que decidiu aventurar-se e trabalhar durante 6 semanas na Ucrânia!

O Renato tem 22 anos e apesar de ainda só ter acabado o 2º ano da Licenciatura de Management no ISEG, decidiu desafiar-se este verão e estagiar fora do país.

Estive à conversa com o Renato, que me falou sobre como está a ser a sua experiência na Ucrânia e o que é que o levou a dar este passo.

Olá Renato, como é que está a correr a tua experiência até agora?

Eu estou a adorar a minha experiência! Antes de vir para Lviv eu não esperava que fosse ser tão bom como tem sido. Tem sido uma mistura de sentimentos a cada dia. Muita coisa nova a todo o momento. Cultura, pessoas, processos na startup, comidas, viagens. Está a ser incrível trabalhar numa startup e pôr em prática toda a teoria dada nas aulas. Já estou cá há duas semanas e está a passar super rápido.

Primeira viagem pela Ucrânia com os estagiários

Conta-nos então um pouco mais sobre o local onde estás e o que estás a fazer.

Eu estou a fazer um Global Entrepreneur em Lviv, na Ucrânia. Lviv é uma cidade pequena, mas com uma cultura incrível! Trabalho numa startup na área de Business Development e Sales chamada lislis toys lab, onde querem expandir o mercado para a Europa.

De que forma é que estás a contribuir para o alcance desse objetivo dentro da tua área?

Ajudo a startup a expandir o mercado para a Europa encontrando possíveis parceiros, fazendo o primeiro contacto e marcando a primeira meeting para vender os nossos produtos e criar uma parceria. Sendo que na minha startup só trabalham 5 pessoas, mas para mim isso está a ser ótimo porque consigo participar em diversos processos para além de Business Development e Sales, como Marketing Interno e Externo.

Sendo que eles não têm muito conhecimento sobre como funciona os processos da Europa, nem os processos de vendas, está a ser muito interessante ver que o meu trabalho está mesmo a ajudar a melhorar a startup.

Eu, no meu 2º ano de Management, estou a levar e a buscar conhecimentos para ajudar esta startup e eles estão a gostar do meu trabalho. Trabalho diretamente com a COO da startup e ela realmente ouve-me e deixa-me implementar e pôr em prática as minhas ideias.

Não poderia estar mais grato pelo nosso ambiente de trabalho e a nossa troca de conhecimentos. Estou a crescer imenso como pessoa e profissionalmente. Está a ser uma experiência incrível!

Estágio profissional na startup lislis toys lab

E porque é que escolheste fazer um estágio internacional? E porquê com a AIESEC?

Nunca fui uma pessoa de ficar na minha zona de conforto. Então, assim que vi esta oportunidade, sabia que ia adorar e que era algo que eu sempre quis experimentar. Sempre achei que estar apenas numa faculdade, não era suficiente para mim. Que eu queria fazer algo mais e desafiar-me. Então, aproveitei que estou há 1 ano a trabalhar na AIESEC, a vender os nossos projetos diariamente, para ir numa das nossas experiências. E sabia também que além de um estágio internacional ser muito bem visto no mercado de trabalho, viver 6 semanas noutro país, numa cultura diferente, com pessoas diferentes das que estou acostumado a conviver, seria uma enorme aprendizagem. E está a ser!

Estagiários na Ucrânia pela AIESEC

E como é que descreves a tua experiência até agora?

Eu cheguei muito motivado. Motivado em conhecer as pessoas, motivado em conhecer a cidade e as cidades próximas, motivado em trabalhar e ver logo resultados. Com isso, sinto que já fiz muita coisa em apenas duas semanas. Em relação à startup tem sido muito interessante, porque consegui implementar algumas ideias no dia-a-dia deles que estão a funcionar.

Apresentei algumas plataformas que eu já utilizava antes em outros trabalhos que vi que seriam de grande ajuda para a startup neste momento de expansão de mercado, e eles aceitaram com muita vontade de aprender mais sobre as plataformas e de utilizá-las.

Eu diria que estas duas semanas têm sido de muita troca de conhecimentos, alinhamento de processos, comunicação, aprendizagem e muito trabalho.

Quando questionei o Renato sobre as pessoas que tem conhecido durante estas duas semanas, a foto que me mostrou não poderia ser menos autoexplicativa:

De viagem para as Carpathian Mountains, Ucrânia

Esta foi a minha primeira viagem com os outros estagiários que estão aqui em Lviv. Cada um está numa semana diferente do projeto. Eu conheci-os logo no primeiro dia depois do trabalho, num parque aqui em Lviv, onde vamos sempre para nos reunirmos à noite. Tornámo-nos logo amigos e decidimos viajar juntos para as Carpathian Mountains. Foi uma viagem incrível, e estar com eles logo na primeira semana do meu projeto foi muito importante para me dar confiança e ficar mais motivado. Hoje já temos a nossa próxima viagem marcada (apesar do destino ainda ser incerto)!

Carpathian Mountains, Ucrânia

E qual foi o momento que mais te marcou durante estas semanas?

O momento que mais me marcou foi quando a COO da startup aceitou implementar as plataformas que eu sugeri nos processos deles e me pediu para eu fazer uma apresentação e ensinar aos meus colegas de trabalho a utilizar as plataformas corretamente.

A apresentação correu super bem, e foi até bom para eu conhecer melhor cada um deles. Até hoje eu fico muito contente quando vejo que eles estão a utilizar corretamente, ou perguntam-me algo sobre alguma plataforma em específico, mas penso sempre que estou apenas no 2º ano de Licenciatura a ajudar uma startup noutro país.

E o teu maior desafio?

Acho que o meu maior desafio está a ser a língua. Ucraniano é uma língua muito difícil, e eles aqui não falam inglês. Na minha startup, por exemplo, só a COO é que fala inglês. Os outros tentam sempre comunicar comigo via Google Tradutor e etc, mas na rua é sempre muito difícil a comunicação.

Por outro lado, eles são muito pacientes. Tanto na startup quanto no dia-a-dia, eles tentam sempre entender com mímicas ou tradutor. Às vezes é até engraçado quando a tradução não está correta. E depois de duas semanas, mesmo em ucraniano, tu consegues perceber muitas coisas pela entoação da frase e começas a reconhecer algumas palavras. É um bom desafio!

A cultura ucraniana é muito diferente da portuguesa?

Nós conhecemos mais o mundo em geral, eles são mais fechados. Então são muito interessados em Portugal, na nossa língua, para onde já viajámos e tudo mais.

Comparando Lviv a Kyiv (capital da Ucrânia), Lviv é muito mais pequena e com todas as atrações turísticas ou comércio em geral situados no centro. Para turistas isso é muito bom porque conseguimos ver a cultura da cidade num só lugar sem ter de apanhar autocarros ou outro tipo de transporte.

Eles têm diversos pratos típicos, falam ucraniano e russo e têm uma divergência política muito grande entre as pessoas. E isso acaba por ser normal, visto que tiveram uma revolução em 2014 que teve um grande impacto na cultura do país. Por outro lado, são muito pacientes para falar com turistas já que não falam muito inglês.

Pratos típicos ucranianos: borsch, varenyky e deruny

Lviv é uma cidade que fica perto da fronteira com a Polónia. Já tiveste a oportunidade de visitar países à volta?

No primeiro fim-de-semana passei em Kyiv, no segundo nas famosas montanhas Carpathian Mountains, e neste último fim-de-semana passei na Cracóvia (uma cidade polaca). Como a moeda aqui é mais barata, é muito tranquilo viajar aos fins-de-semana. Para a Cracóvia de avião foram 45 minutos de voo.

Visita a Cracóvia, Polónia

E quais são as tuas expetativas para as próximas semanas?

Certamente ainda estou com aquela motivação do início da experiência. Ainda quero conhecer novas pessoas, culturas e lugares. Além disso, quero realmente deixar a minha marca nesta startup, continuar a relação que tenho com eles e que eles fiquem satisfeitos com o trabalho que eu tiver feito ao fim das 6 semanas.

E que tipo de recomendação darias a alguém que está a pensar fazer um estágio internacional?

Que se estás à procura de não só um estágio internacional, mas também de uma experiência de vida incrível, devias fazer um Global Entrepreneur!

Inscreve-te no nosso site e sabe mais sobre este e outros programas.

share post to:
Author
Estudante de Gestão, trabalha com a AIESEC desde julho de 2018, atualmente na equipa de Customer Experience de Incoming Global Volunteer. Faz também parte da Entity Support Team publicando neste blog.