Empoderar os outros- a história de um líder, a Carolina

Esteve 3 anos na AIESEC. Num deles liderou um dos vários comitês nacionais da AIESEC Portugal e ninguém nega que tenha sido uma inspiração para todos os que nele passaram.

Fizemos-lhe algumas perguntas porque a verdade é que será sempre mais fácil para quem vê as coisas de fora mas perceber a verdadeira perspetiva de um líder é perceber a equipa que liderou.

Quando questionada acerca do processo da descoberta da sua própria liderança, a Carolina afirmou que acha “honestamente que é através da coragem que a podes descobrir”. Acredita que esta coragem envolve arriscar e agarrar as oportunidades que nos são dadas.

Na sua opinião, “só és um líder quando gostas genuinamente das pessoas e as tens no pensamento em cada ação, atitude e comportamento.” Afirma que sermos líderes de nós próprios só tem realmente impacto se o propósito for servir os outros.

Quisemos explorar mais o processo de liderança de uma equipa enquanto AIESECer, uma vez que acreditamos também que, tal como a Carolina referiu, a equipa de um líder tem um papel preponderante no mesmo.

Procurámos então perceber como é que empoderar as pessoas que trabalharam com a Carolina a ajudou a evoluir, ao qual nos respondeu que “quando lideras uma equipa, tens de ter muito consciente que estás a gerir pessoas únicas e que o teu papel é muito mais que direcionamento estratégico.” Define a AIESEC como uma experiência intensa e diz que é fundamental compreender que nela empoderar as pessoas é a “chave do sucesso”.

Mostra-se discordante dos padrões da sociedade atual, onde “jovens se sentem cada vez mais inseguros porque a sociedade dita de forma muito homogénea o que é ser bem-sucedido.” E foi isso que fez a Carolina permanecer na AIESEC durante um período maior comparativamente à generalidade dos membros que a integram. Foi “sentir que todas as histórias e objetivos se conquistam quando estás numa verdadeira equipa que acredita e te empodera diariamente a seres um humano melhor.

Para a Carolina, liderar uma equipa baseia-se em acreditar constantemente no potencial de cada um, “mesmo quando eles próprios deixam de acreditar.”

Empoderar os que estavam à sua volta mudou também a pessoa que era. Afirma que “quando empoderas alguém, é fundamental conhecer o drive de cada um mas mais importante que o drive é conhecer os medos que cada pessoa carrega.” Segundo a sua visão, “o medo é algo poderoso” e acredita que nestes últimos anos deve o seu auto-conhecimento também à conexão com os outros.

Por fim, questionámos a Carolina sobre qual o conselho, da sua parte, a quem estiver a considerar candidatar-se à AIESEC neste recrutamento, pergunta à qual respondeu, aconselhando “que se candidatem, sem dúvida!”. Descreve a AIESEC como uma organização incrível, com um propósito muito especial e certa para pessoas corajosas, curiosas e ambiciosas. Mas acima de tudo, “pessoas que acreditam que o ser humano tem um potencial ilimitado que pode ter um impacto poderosíssimo no mundo.”

Esta é a história da Carolina. Também tu podes contar uma história que terá tanto de igual à da Carolina como de só teu. Dá o primeiro passo para mudares a tua vida e a de todos os que te rodeiam e inscreve-te em bit.ly/joinAIESECPT

share post to:
Author
Estudante de Economia, trabalha com a AIESEC desde Setembro 2018, na equipa de vendas de Global Volunteer. Faz também parte da Entity Support Team publicando neste blog.