O meu futuro depois da AIESEC

Hoje decidimos pedir o testemunho da Martinha Ribeiro. A Martinha tem 24 anos e entrou em Fevereiro de 2014 na organização e esteve 3 anos a trabalhar com a AIESEC nas áreas de Global Talent  e Global Entrepeneur, onde não só teve a oportunidade de seleccionar jovens para estágios profissionais, como também teve a oportunidade de contactar com empresas e startups portuguesas. Finalizou a sua experiência na AIESEC com o cargo de presidente no escritório local da AIESEC no ISCTE.

Fizemos algumas perguntas à Martinha para perceber não só as suas motivações para integrar a nossa organização, mas também como é que a sua experiência na AIESEC a trouxe ferramentas para o seu futuro profissional.

– Porque é que decidiste entrar na AIESEC na altura?

Na altura queria fazer parte de algo que me complementasse a nível pessoal e profissional além da formação acedémica, pelo que a AIESEC me pareceu a oportunidade que procurava.

– Qual a tua opinião acerca do trabalho desenvolvido na organização?
É uma experiência excelente e se voltasse atrás fazia tudo novamente. Conheci pessoas que vão ficar comigo para toda a minha vida, aprendi muito do que sei hoje e principalmente nesses 3 anos desafiei-me em muitos âmbitos da vida (gestão de equipas, organização, inteligência emocional, trabalho de equipa, comunicação, lista infinita de aprendizagens) que afetam o meu dia a dia a nível pessoal e profissional hoje.

– O que é que aprendeste ao trabalhar com a AIESEC que não terias aprendido de outra forma?

O principal é mesmo a gestão das equipas e o aumento crescente de responsabilidade. Outra coisa importante que aprendi foi descobrir um interesse que antes não sabia que o tinha: vender.

Se não tivesse oportunidade de gerir equipas não teria aprendido tão cedo lições como exigir timmings sempre que se dá uma tarefa, ser exigente/dura quando algo não é cumprido, reconhecer o trabalho positivo e não só os pontos a melhorar. Isto são poucos dos muitos exemplos que aprendi e que pude ter espaço para tentar, errar, aprender e voltar a fazer diferente ou melhor.

Sobre a responsabilidade, à medida que vamos crescendo na AIESEC, vamos tendo desafios diferentes e de um peso maior. Isso faz com que a nossa evolução seja gradual e cheguemos a um patamar de desenvolvimento incrível pois permite-nos adquirir uma bagagem muito relevante que nos distingue no mundo profissional: espírito crítico, pragmatismo (resolução de problemas), positivismo e proatividade.

– Qual o teu cargo neste momento e que responsabilidades tens?

Sou District Manager da marca Intimissimi no Grupo Calzedonia (supervisora de um conjunto de lojas da marca Intimissimi). Entrei em 2017 e estou há 2 anos

– De que forma a tua experiência como AIESECer influenciou o teu passo seguinte ?

Influenciou a 100%. Foi na AIESEC que descobri 2 paixões: gestão de equipas e vendas. Quando descobri a função de District Manager achei que era um sonho pois permitia-me num primeiro emprego ter a possibilidade dessas 2 paixões fazerem parte do meu dia a dia.

– Como vês a AIESEC a influenciar a forma como encaras o teu trabalho hoje?

Vejo em todo o lado, em todas as ações, reuniões de equipa, feedbacks às minhas colaboradoras, etc. Vou destacar na minha opinião os que são principais:

Espírito crítico: na AIESEC aprendemos a pensar por nós, temos discussões saudáveis de trocas de ideias e isso estimula o nosso raciocínio porque além de falarmos colocamos tudo em ação.

Proatividade: na AIESEC queremos sempre ir mais além e ajudar várias áreas além da nossa, fazendo com que pensemos fora da nossa bolha e olhemos à volta para ajudar os outros e mais a longo prazo.

Pragmatismo e Positivismo: quando estamos na AIESEC deparamo-nos com vários desafios em que parece por vezes que tudo corre mal (o recrutamento está difícil, o projeto Y não está a ter resultados, não temos budget para uma determinada ação , etc) mas depois quando entramos no mercado de trabalho vamos descobrir que a realidade é mesmo essa que vivemos na AIESEC e, na verdade, tudo o que vivemos foi um treino incrível para a vida. Todos esses desafios da AIESEC que na altura nos fizeram respirar fundo e encontrar coragem para seguir em frente foram momentos cruciais para agora nos fazerem agir com naturalidade quando temos algum desafio profissional. Há sempre soluções, o importante é saber lidar com o “problema” (desafio) de forma natural e sempre com atitude positiva dar-lhe a volta!

– Como descreverias a tua jornada enquanto AIESECer numa frase?

A verdadeira “Escola da Vida” que me ensinou muito para a vida a nível pessoal e profissional

– Que conselhos darias a quem esteja a pensar juntar-se à organização?

Aproveitem este tempo ao máximo para aprender, porem-se à prova e crescer. Explorem várias áreas e disfrutem cada momento pois quando olharem para trás vão perceber o quão enriquecedor foi esse percurso.

Ouve o conselho da Martinha e começa já a investir no tyeu futuro numa jornada de desenvolvimento pessoal e profissional que a AIESEC te proporciona todos os dias!
Clica aqui e inscreve-te já !

share post to:
Author
Estudante de Gestão, trabalha com a AIESEC desde Fevereiro de 2019 nas áreas de Brand To Customer Experience. Faz também parte da Entity Support Team publicando neste blog.